08 abril 2015

Resenha do livro Objetos Cortantes

Hoje a resenha é de um livro. Faz tempo que não escrevo sobre livros aqui, né?!
Bom, esse é o segundo livro que leio da autora Gillian Flynn, o primeiro foi Garota Exemplar, que resenhei AQUI!



Sinopse:
Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. 
Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago (EUA), Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida. 
Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri (EUA), oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. 
Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.


Mais uma vez a autora nos traz uma personagem perturbada, que apresenta características de uma personalidade borderline, Camille é uma jovem repórter, com um passado marcado por drogas, sexo, desentendimentos, ressentimentos, a morte de sua irmã ainda criança e uma relação perturbadora com sua mãe, tudo isso marcado não só em sua memória, mas também em seu corpo. Camille  pratica Cutting/ Automutilação, escreve em seu corpo palavras aleatórias relacionadas ao momento presente que esta sua vida, e agora se encontra em um momento de remissão, após ficar internada por um longo período.


Voltar a cidade e ás relações antigas reviram novamente com a vida da personagem, que tem de lidar não somente com as lembranças, mas com os casos de morte e desaparecimento de crianças, meninas, aparentemente queridas por todos ali.
No entanto Camille, começa a buscar por pistas e respostas, e a medida que parece estar ligando os pontos soltos, ela se depara com seu pior pesadelo e tem de enfrentá-lo.
A trama é realmente intrigante, que faz o leitor se tornar um detetive, colher informações e levantar hipóteses.
Diferente de Garota Exemplar, esse livro se desenrola mais rapidamente. Mas o fim, sobre este só posso dizer que é típico de Gillian Flynn, nunca esperamos por ele, e muito raramente os encontramos nos finais de outros autores.

Quem leu, me conta o que achou? hauhuahua
Beijos...

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário